A convite da Universidade Nacional da Colômbia (UNAL), pesquisadores do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS/UFRN) e uma representante do Ministério da Saúde do Brasil estão em Bogotá, para o cumprimento de uma extensa agenda de atividades com o objetivo de articular esforços acadêmicos, técnicos, administrativos e logísticos para o desenvolvimento de ações conjuntas de interesse mútuo no campo científico-tecnológico.

Os trabalhos iniciaram na manhã desta terça-feira (02) e seguem até a próxima sexta-feira (05) nas instalações da Sede da UNAL. A programação, denominada “Laboratorio Itinerante para La Innovación Tecnológica en Salud UFRN-UNAL”, conta com a participação de professores, estudantes e pesquisadores de várias unidades acadêmicas da Universidade colombiana que demonstraram intenções de implementar relações de cooperação com o LAIS/UFRN.

Para Olga Janneth Gómez Ramírez, diretora de Investigação e Extensão da UNAL, o LAIS tem muito a compartilhar, principalmente, no que se refere ao enfrentamento da Sífilis, por meio do Projeto ‘’Sífilis Não’’, o teleatendimento de pacientes, por meio do Telesaúde, e outras iniciativas desenvolvidas pelo laboratório brasileiro. “Nós, da UNAL, também temos muito a dividir a partir de projetos que desenvolvemos na área da saúde pública, da pesquisa e da formação de talento humano”, complementou Olga Ramírez.

A coordenadora de Vigilância das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do Ministério da Saúde do Brasil, Angélica Espinosa Miranda, apresentou dados sobre a sífilis no país e como o Projeto “Sífilis Não” auxiliou na redução dos casos da doença. Segundo Angélica Espinosa, apesar de os sistemas de saúde brasileiro e da Colômbia serem diferentes, existem muitas similaridades entre os países e o chamado para somar esforços com os vizinhos colombianos nessa área, mostra como o trabalho, que foi desenvolvido, produziu bons frutos.

 

A comitiva composta por pesquisadores do LAIS e pela representante do MS visitou a Faculdade de Enfermagem e o Hospital Universitário da UNAL (HUN). Neste último, eles conheceram os serviços de saúde oferecidos nas áreas de baixa, média e alta complexidades. O diretor geral do HUN, Oscar Alonso Dueñas, destacou que o plano de expansão do Hospital prevê a construção de um Centro de Inovação Tecnológica em Saúde e que as expertises que serão compartilhadas entre as equipes podem ajudar nesse processo.

De acordo com Juciano Lacerda, coordenador do Núcleo de Relações Internacionais e Interinstitucionais do LAIS/UFRN, esse é um marco para a história do Laboratório que protagonizou ações de cooperação com instituições de ensino superior de países da Europa, da América do Norte e da África e que, pela primeira vez, é convidado a cooperar com uma instituição da América do Sul, o que, segundo ele, aumenta a responsabilidade de construção de uma relação horizontal.

Com o apoio do Ministério da Saúde da Colômbia, uma comitiva com representantes da UNAL e do LAIS/UFRN seguirá, nesta quarta-feira (03), para Quibdó, capital do Departamento de Chocó, distante cerca 633 km de Bogotá. De acordo com a médica infectologista e pesquisadora do LAIS/UFRN, Mônica Bay, no lugar, serão conhecidas as inciativas para o enfrentamento às infecções sexualmente transmissíveis em solo colombiano, com ênfase para a sífilis, e também serão apresentadas experiências realizadas no Brasil e que podem ser adaptadas à realidade local.

Bruno Cássio – ASCOM/LAIS