Notícias

LAIS fecha acordos de cooperação com universidades americanas

Parceria entre o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) e as instituições estrangeiras, como Harvard e MIT, acontece após viagem no mês de março.

O Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da UFRN (LAIS/HUOL) fechou parcerias com instituições de ensino superior nos Estados Unidos, dentre elas, os conceituados Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e a Universidade de Harvard. Os acordos visam a estabelecer intercâmbio de projetos e de pessoal entre as entidades e o laboratório, dentro de seu processo de internacionalização. Os encontros ocorreram no último mês de março de 2018.

Liderados pelo coordenador do LAIS, professor doutor Ricardo Valentim, os pesquisadores estiveram nas cidades de Boston e Cambrigde, visitando instituições de ensino superior. O primeiro encontro, ocorrido no dia 06 de março, aconteceu na sede do MIT Brasil, em Cambrigde, onde os pesquisadores foram recebidos pela diretora do órgão, Rosabelli Coelho Keyssar. Na ocasião, a equipe apresentou o portfólio do laboratório, além dos desafios e conquistas alcançadas nos quase sete anos do LAIS. Valentim frisou a importância da internacionalização dos projetos entre as instituições e o intercâmbio de alunos e professores.

 

 

Para Rosabelli Coelho, os projetos desenvolvidos pelo LAIS, no Brasil, apresentam potencial importante para firmar novas parcerias. “O LAIS é um laboratório incrível, com pessoas incríveis. Eu estou muito animada, impressionada com o portfólio e muito interessada em continuar vendo o que é possível fazer para estreitar essa relação entre o LAIS e o MIT”, afirmou.

 

Como resultado deste primeiro encontro, as instituições já começaram os acertos para iniciar a cooperação. A professora Karilany Coutinho ressaltou que esse tipo de parceria é reconhecidamente importante para ambas as instituições. “O LAIS hoje desenvolve pesquisa de alta e média complexidade que é importante tanto para nós do Laboratório como para o MIT”, destacou.

 

Outro importante passo da missão do LAIS, nos Estados Unidos, foi a reunião com o Professor Rifat Atun, diretor do Global Health Systems Cluster, em Harvard. Durante o encontro, realizado na Escola Pública de Saúde da instituição, os pesquisadores Rodrigo Silva e Fabiano Papaiz apresentaram um painel sobre a sífilis no Brasil, que faz parte do projeto Observa SUS. Outro projeto apresentado foi o Ambiente Virtual de Aprendizagem do SUS (Avasus), pelo pesquisador Gustavo Barbosa, que destacou a possibilidade de ampla capacitação dos profissionais de saúde de qualquer lugar do Brasil, através da plataforma.

 

 

O professor Rifat Atun afirmou que o próximo passo agora é a cooperação. “A próxima etapa são as formalidades e, consequentemente, a criação de um cronograma de trabalho entre o LAIS e a Harvard T.H. School of Public Health”, disse.

Os pesquisadores reuniram-se ainda com o professor e pesquisador de Harvard, Adriano Massuda. Para ele, há total interesse da universidade americana em uma cooperação com o LAIS. “Harvard sempre tem interesse de acompanhar processos de pesquisas em outros países para aprimorar seus trabalhos e atingir resultados ainda melhores. Com o LAIS não seria diferente”.     

 

 

Parcerias com startups       

 

A viagem aos Estados Unidos possibilitou ainda o encaminhamento de parcerias com a startup ConquerX Lab, empresa americana que tem a pesquisadora brasileira Débora Zanforlin como CEO e cofundadora. A ConquerX realiza pesquisas na área de biomarcadores de câncer, em conjunto com a Universidade de Massachusetts (UMASS). O pesquisador do LAIS e mestrando em bioinformática, Marcel Ribeiro Dantas, destacou a grandiosidade dessa parceria, principalmente, “para atingir o grande objetivo do LAIS que é levar alta tecnologia para a atenção básica e melhorar muito a qualidade do serviço oferecido a população brasileira”.

 

A equipe de pesquisadores do LAIS também visitou as instalações do MIT Media Lab, onde se reuniu com o coordenador do laboratório, o professor e pesquisador Leo Anthony Celi.

 

 

Para o coordenador do LAIS, a avaliação geral das visitas é positiva, pelos acordos firmados entre o laboratório e as instituições americanas. “Tivemos uma semana extremamente produtiva e fechamos grandes acordos para a internacionalização do LAIS. Vamos poder compartilhar experiências, absorver conhecimentos e elevar o estudo de soluções viáveis e rápidas para a atenção básica brasileira. Ganham as instituições envolvidas, o LAIS, a UFRN e a população do nosso país”, destacou Ricardo Valentim.

03 de abril de 2018