Projetos

Resposta Rápida à Sífilis

Observando o crescimento acelerado de casos de sífilis em todo o Brasil, uma parceria entre o LAIS, o Ministério da Saúde e a OPAS – Organização Pan-Americana da Saúde iniciou um projeto que prevê ações efetivas e pesquisa aplicada (nas áreas acadêmica e médica), inicialmente, em 100 municípios considerados prioritários. O Projeto atua em quatro eixos distintos: gestão e governança, vigilância, cuidado integral e fortalecimento da educação e comunicação.

Também estão sendo desenvolvidas ações de Educação Permanente em Saúde, buscando à capacitação de gestores e profissionais da área. Ao trabalhar a questão da vigilância por meio da rede de atenção à saúde e com todas as ações integradas aos Apoiadores de Pesquisa e Intervenção que atuam nos territórios, o Projeto pretende contribuir com a eliminação da sífilis congênita e reduzir os casos de sífilis adquirida e sífilis em gestantes no país.

 

Benefícios

Conheça as vantagens do projeto

Eliminação de casos de sífilis congênita

Ao enfatizar a prevenção em mulheres gestantes, com diagnóstico precoce e tratamento adequado, os casos de sífilis congênita serão eliminados.

Integração entre vigilância e atenção em saúde

Integrar de forma colaborativa todas as ações de vigilância epidemiológica e de atenção em saúde nos territórios do SUS.

Desenvolvimento de pesquisas acadêmicas e médicas

A realização de pesquisas acadêmicas e médicas, no âmbito do Projeto, irá proporcionar o desenvolvimento de novas abordagens para o controle dessa IST.

Evolução do Projeto

Veja os acontecimentos que marcaram o Resposta Rápida à Sífilis

2017

Pactuação do Projeto de Resposta Rápida à Sífilis na Comissão Intergestores Tripartite (CIT): instância que atua, em nível federal, na direção nacional do SUS, integrada por gestores do SUS das três esferas de governo – União, estados, DF e municípios.

2018

Realização da Capacitação Introdutória para Apoiadores de Pesquisa e Intervenção do Projeto de Resposta Rápida à Sífilis nas Redes de Atenção.