Notícias

UFRN firma cooperação com instituição francesa

Um trabalho de pesquisa que será realizado em dois anos, proporcionado o intercâmbio entre pesquisadores brasileiros e franceses, em busca de melhores soluções para os problemas existentes nos sistemas de saúde pública. Esse um dos resultados previstos para o acordo de cooperação assinado entre a UFRN e a Universidade de Lorraine, na França. Através dessa parceria, a UFRN se torna a primeira instituição de ensino das América a firmar um acordo de cooperação com a instituição francesa.

A cooperação foi assinada pelo coordenador do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde, da UFRN, professor Ricardo Valentim e pelo o Professor Jean-Yves Marion, Diretor do LORIA, Laboratório de Pesquisa, da Universidade de Lorraine.

 

De acordo com a proposta o trabalho será desenvolvido em três etapas, iniciando pela elaboração de um projeto de pesquisa conjunto entre os dois laboratórios. Em seguida, ocorrerá a troca de experiências, envolvendo materiais, dados e informações estratégicas para o desenvolvimento das pesquisas, além do intercâmbio entre estudantes, professores, pesquisadores e a promoção de eventos científicos entre as duas instituições. A proposta é que o encerramento do projeto será marcado pela publicação dos resultados obtidos ao longo desses dois anos de cooperação.

Para o professor Jean-Yves Marion, diretor do Loria, esse tipo de intercâmbio é fundamental para o desenvolvimento de estudos ainda mais abrangentes em todas as áreas e, especialmente, na área da saúde. “ Sempre é muito importante trocar ideias entre os estudantes, professores e pesquisadores”.

Opinião semelhante tem o professor Karl Tombre , vice presidente de Estratégia Europeia e Internacional da Universidade de Lorraine, destacando o fato LAIS ser um grupo de profissionais interdisciplinares, o que possibilita uma atuação de enfrentamento aos desafios na Saúde Pública. “O intercâmbio internacional entre cientistas é indispensável”, complementou.

Durante a visita à instituição francesa, a equipe do LAIS conheceu a pesquisa desenvolvida pelo LORIA, nas áreas de aprendizagem em ambiente virtual, e-Saúde e tecnologias para saúde, Inteligência Artificial e Robótica. Os brasileiros, também, tiveram a oportunidade de apresentar o Projeto de Resposta Rápida à Sífilis, que o Ministério da Saúde vem realizando em parceria com o LAIS.

Toda a programação colocada em prática no país europeu consolida o trabalho realizado que o LAIS vem desenvolvendo na área de internacionalização, conforme explicou o professor Ricardo Valentim. “Com esse acordo, haverá um trânsito entre pesquisadores para resolver problemas na área de sistemas inteligentes, processamento de dados e sistema de informação com grande volume de dados na área de saúde, beneficiando a toda sociedade”.

16 de maio de 2018