Notícias

LAIS participa de fórum de saúde com pesquisadores da Coreia do Sul

O Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da UFRN (LAIS) participou na semana passada do "Korea-Brazil Global Healthcare Forum", evento que reuniu pesquisadores e autoridades da área da saúde em São Paulo. Um dos grupos que marcaram presença no encontro foi o Korea Health Industry Development Institute (Khidi), uma das principais empresas do setor na Coreia do Sul.

 

O pesquisador Higor Morais, que atua no LAIS e também no NAVI (Núcleo Avançado de Inovação Tecnológica)  representou o laboratório no evento, que tinha como objetivo promover a aproximação entre os dois países. Além dele, estiveram presentes representantes do Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) da indústria, do consulado coreano no Brasil e de empresas e universidades do país asiático.

 

Higor falou sobre a importância deste tipo de encontro para o desenvolvimento de tecnologia na área da saúde.

 

“Foi um evento de grande enriquecimento e que proporcionou um momento ímpar para que as duas nações possam estreitar ainda mais os laços existentes e aumentar o intercâmbio de pesquisadores e alunos entre os dois países. Os professores representantes da Korea University mostraram interesses comuns com o que o nosso grupo de pesquisa já desenvolve no nosso estado. Logo em breve daremos continuidade às conversas para o estabelecimento de acordos formais entre nossas instituições de ensino para a realização de cooperações internacionais, o que será muito bom para ambos países”, disse.

 

O evento foi promovido pelo professor Hyoung Chun Kim, da UNIFESP, e que é membro da Associação de médicos coreanos no Brasil. Segundo o professor Kim, o encontro foi bastante proveitoso para as empresas e autoridades daquele país. "A delegação sul-coreana trouxe oportunidades concretas para realização de trabalhos e negócios. Além disso, foi muito importante a participação do Ministério da Saúde brasileiro, pois com o auxílio do Khidi, o estabelecimento de parcerias sérias se torna mais possível. Assim, futuros investimentos no desenvolvimento de pesquisas com a participação pesquisadores e investidores dos Ministérios dos dois países devem contemplar instituições de pesquisas brasileiras”.

03 de julho de 2018